Melhore a segurança no Ubuntu Desktop

84 / 100 SEO Score

Melhore a segurança no Ubuntu Desktop

Melhore a segurança no Ubuntu Desktop com as nossas 5 dicas!

Tem muitos servidores Linux e muitos deles são impossíveis de fornecer o número exato e até mesmo uma boa aproximação. No entanto, é improvável que ofendamos alguém se dissermos que pelo menos 40% e provavelmente mais de 50% dos servidores da Internet executam um pouco do Linux.

Como resultado, os criminosos cibernéticos aprenderam a invadir servidores Linux em escala industrial para roubar espaço de armazenamento e largura de banda de rede. Com esses servidores invadidos, eles enviam campanhas de malware, spam, golpes e phishing para usuários em todo o mundo.

É claro que a grande maioria das vítimas que são atacadas ou infectadas por meio de servidores comprometidos está executando o Windows, simplesmente porque a grande maioria dos usuários finais está executando o Windows. Se você executar um desktop Linux, a vida pode ser muito mais silenciosa.

Parte disso é estar em uma pequena minoria, com o Linux provavelmente rodando em apenas cerca de 2% a 5% dos computadores de mesa em todo o mundo. Estar em uma pequena minoria significa que você ainda não atraiu muita atenção dos cibercriminosos, que já estão ganhando enormes quantias do ecossistema Windows.

Mas isso é suficiente para se considerar seguro? Não, não é.

O malware do Linux existe e ocasionalmente se espalhou extensivamente em “estado selvagem”. Usuários de Linux são fisgados; Laptops Linux se perdem, são roubados ou hackeados; os discos rígidos são removidos dos computadores Linux e vendidos sem serem apagados, e qualquer um deles pode colocar você, sua privacidade ou mesmo sua identidade em risco.

Então, por isso resolvemos escrever este artigo para lhe ajudar na segurança no Ubuntu Linux. Caso não tenha lido nosso artigo anterior sobre o que fazer após instalar o Ubuntu, poderá ler clicando neste link.

 

1. Segurança no Ubuntu: Criptografia total no disco (FDE)

Não importa qual sistema operacional você esteja usando, recomendamos que você criptografe todo o seu disco rígido! Se o seu laptop for perdido ou roubado, o uso de uma senha de login simples não protegerá seus dados: um ladrão pode simplesmente inicializar no Linux a partir de um pendrive USB e ler todos os seus dados sem uma senha!

Ao criptografar seu disco rígido, você garante que seus dados permaneçam seguros, porque o ladrão não conseguirá ler nada sem a senha do FDE (Full Disk Encrytion). A vantagem do FDE sobre criptografar apenas sua pasta pessoal e os arquivos nela é que você não precisa mais se preocupar com arquivos temporários, arquivos de troca ou outros diretórios onde arquivos importantes podem acabar sem que você perceba.

Em qualquer computador recente, é improvável que você perceba, ou mesmo seja capaz de medir, uma desaceleração no uso diário devido à criptografia de tudo. No Ubuntu ou em como muitas outras distribuições Linux, a criptografia total de disco está disponível no momento da instalação.

Segurança no Ubuntu

Você pode ativá-lo facilmente durante a instalação selecionando Criptografar a nova instalação do Ubuntu.

 

2. Segurança no Ubuntu: manter o sistema atualizado

Não importa qual sistema operacional você está usando, você deve sempre manter tanto o sistema operacional quanto os aplicativos, como navegadores da web, leitores de PDF e players de vídeo, atualizados. A maioria das distribuições Linux facilita isso.

No Ubuntu, por padrão, as atualizações de segurança são instaladas automaticamente. Você pode verificar isso em Configurações do sistema > Software e Atualizações > Atualizações

Verifique se a opção Atualizações de segurança importantes está ativada:

Segurança no Ubuntu

 

3. Segurança no Ubuntu: use o firewall

O kernel do Linux inclui um componente de firewall chamado iptables, que oferece uma maneira poderosa de gerenciar o tráfego de rede e impedir muitos ataques cibernéticos. No Ubuntu você também terá um aplicativo chamado Uncomplicated Firewall (UFW), um programa de frontend que simplifica a configuração do iptables.

Por padrão, o UFW está desativado, mas você pode ativá-lo pelo terminal e digitar o comando:

sudo ufw enable

Será questionado pela senha do super-usuário ou root e depois de colocar a senha deverá dar um resultado similar:

Firewall is active and enabled on system startup

Para aprender mais sobre o iptables e o que ele pode fazer, você também pode tentar uma ferramenta de configuração gráfica, como GUFW.

 

4. Segurança no Ubuntu: o seu navegador

O navegador é o caminho para muitas ameaças na internet atuais, e provavelmente você usa Mozilla Firefox, Google Chrome, Opera ou outro navegador. Muitas extensões gratuitas estão disponíveis para melhorar a segurança do seu navegador e a sua privacidade também. Entre outros, você pode querer considerar o seguinte:

HTTPS-Everywhere

Adblock Plus

NoScript

Ghostery

Disconnect

 

5. Segurança no Ubuntu: Anti-Virus

Nós guardamos esse por último porque tem sido um ponto de discórdia com uma minoria de “fiéis do Linux. Algumas pessoas dirão que é inútil instalar um software antivírus em um sistema operacional baseado em Linux.

Metade do argumento é que a maior parte do malware que você detectará em um computador Linux será para o Windows, e por que você deveria ser responsável por isso A resposta óbvia é: “Por que não? E se você passar um arquivo infectado para outra pessoa e assim se tornar parte do problema e não da solução?”

A outra metade do argumento é que o malware nos desktops do Linux é raro o suficiente para que você possa fingir que ele não existe. Nossa opinião é que, se você se sentir seguro apenas porque acha que o risco de uma violação é baixo, os atacantes já terão superado você.

 

Se gostou do nosso artigo, compartilhe nas redes sociais. Nós esperamos que estas 5 dicas de segurança no Ubuntu, tenham lhe ajudado a manter o seu sistema mais seguro.

Este post tem um comentário

Comentários encerrados.

Fechar Menu
shares